15 de outubro

A escola Edinor Avelino prestou uma homenagem aos seus professores. Além das tradicionais mensagens, um jantar foi oferecido aos “Mestres”, animado pela música de Izaias, Das Chagas, Rainery e do cantor-diretor Gilson Peixoto. Presentes o Secretário da Educação, o Sr. Vice-prefeito, e o vereador Dércio Cabral. O SINTE-RN/REGIONAL MACAU participou do evento com a presença de Araújo Neto, Manoel Nazareno, Rosário Aquino e Damiana Florêncio, Coordenadores da Regional de Macau.

Professor: o Poeta, a Poeta, o Poetar…

Sem bons motivos para comemorar, ainda assim nos resta acesa a chama pela luta constante e diária do nosso compromisso por uma educação gratuita, pública e de qualidade para todos. Esta chama que nos alimenta em forma de poesia…

Conquista

Livre não sou, que nem a própria vida
Mo consente.
Mas a minha aguerrida
Teimosia
É quebrar dia a dia
Um grilhão da corrente.

15 de Outubro – Comemorar o quê?

Dia do Professor1

Uma dica a mais…

10.1 Passos - Ziraldo

Sétima Conferência Nacional da Educação

Educadores discutem construção do Sistema Nacional de Educação

Cerca de 340 trabalhadores da educação vão participar, de 9 a 11 de outubro, no Hotel Nacional, em Brasília, da 7ª Conferência Nacional de Educação, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), para consolidar a posição dos educadores sobre a construção do Sistema Nacional Articulado de Educação (SNE) e do novo PNE. Esses dois temas serão debatidos na Conferência Nacional de Educação (CONAE) a ser realizada no ano que vem pelo MEC.

Piso Salarial Nacional

O piso é lei, faça valer!  
No momento em que a Sociedade e os Poderes Públicos se reúnem para discutir os rumos da educação no país – num inédito e importante espaço de fomento das políticas públicas – os trabalhadores da educação pública básica, reunidos nas 36 entidades filiadas à CNTE, vêm cobrar dos Prefeitos, Governadores e Secretários de Educação, a implementação do Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério (PSPN) assegurado pelo art. 60, III, “e” do ADCT da Constituição Federal e regulamentado pela Lei 11.738, de 2008.

Mais que uma legislação salarial, a Lei do Piso constitui poderoso instrumento de ajuste administrativo e pedagógico para as redes de ensino, e pode ser uma aliada dos Secretários e Secretárias de Educação no que tange o gerenciamento dos recursos constitucionalmente vinculados, conforme prevê o artigo 69, § 5º da LDB.

Importante frisar que o Supremo Tribunal Federal, na apreciação da cautelar da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4.167), movida pelos governadores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e Ceará, julgou a Lei do Piso constitucional, não obstante ter suspendido dois itens até o julgamento do mérito. Contudo, nenhum gestor público está impedido de regulamentar o PSPN de acordo com a Lei 11.738, uma vez que o pacto federativo preserva a autonomia dos entes federados quanto à organização das carreiras de seus servidores.

A efetivação do PSPN é, também, mais um requisito essencial para pôr fim às históricas omissões e aos descasos causadores das desigualdades educacionais, sociais e econômicas em nosso país. Por isso, convidamos a todos os presentes às Conferências de Educação para unirem-se à luta pelo Piso, especialmente os gestores públicos, que são os destinatários diretos dos comandos da Lei.

A escola pública precisa de profissionais bem formados, com boas condições de trabalho e com uma carreira que incentive a permanência e a atração de novos talentos à profissão. O cumprimento do Piso é parte decisiva para essa grande conquista que se coaduna com as demandas de desenvolvimento do país.

Vamos escrever uma nova história, em que o acesso universal à educação pública, laica, gratuita e de qualidade seja o alicerce de uma sociedade justa, fraterna e democrática.

Fonte: CNTE

Pelo direito de ser bonsai

A Rádio Oficina Comunitária FM93,5  Solidariedade, em mais um exemplo de cidadania e de incondicional defesa da cidade de Macau, faz a apresentação de PELO DIREITO DE SER BONSAI, do nosso Cláudio Guerra, edição de “O Baú de Macau Editora e Artes”. O livro é mais uma “pedra salgada”, como são salgados os caminhos que o homem e a mulher macauense enfrenta no seu cotidiano, em busca de melhores condições de vida,  e até de sobrevivência, na luta pelo direito da plena cidadania.  Cláudio Guerra, em sua nova empreitada, traz para o nosso conhecimento o processo de julgamento e condenação da FM Solidariedade, pedra salgada no paladar daqueles que se arvoram em ser donos de tudo e de todos, e, mesquinhamente, não querem permitir que a informação verdadeira chegue democratica e indistintamente aos que têm direito a ela.
A apresentação acontecerá no próximo 1º de outubro, nas calçadas, vizinhança e adjacências da indispensável FM Solidariedade, na Avenida A, 42, Porto de São Pedro, por volta das 19h30min.Pelo Direito de Ser Bonsai1