15 de outubro

A escola Edinor Avelino prestou uma homenagem aos seus professores. Além das tradicionais mensagens, um jantar foi oferecido aos “Mestres”, animado pela música de Izaias, Das Chagas, Rainery e do cantor-diretor Gilson Peixoto. Presentes o Secretário da Educação, o Sr. Vice-prefeito, e o vereador Dércio Cabral. O SINTE-RN/REGIONAL MACAU participou do evento com a presença de Araújo Neto, Manoel Nazareno, Rosário Aquino e Damiana Florêncio, Coordenadores da Regional de Macau.

Professor: o Poeta, a Poeta, o Poetar…

Sem bons motivos para comemorar, ainda assim nos resta acesa a chama pela luta constante e diária do nosso compromisso por uma educação gratuita, pública e de qualidade para todos. Esta chama que nos alimenta em forma de poesia…

Conquista

Livre não sou, que nem a própria vida
Mo consente.
Mas a minha aguerrida
Teimosia
É quebrar dia a dia
Um grilhão da corrente.

15 de Outubro – Comemorar o quê?

Dia do Professor1

Uma dica a mais…

10.1 Passos - Ziraldo

Sétima Conferência Nacional da Educação

Educadores discutem construção do Sistema Nacional de Educação

Cerca de 340 trabalhadores da educação vão participar, de 9 a 11 de outubro, no Hotel Nacional, em Brasília, da 7ª Conferência Nacional de Educação, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), para consolidar a posição dos educadores sobre a construção do Sistema Nacional Articulado de Educação (SNE) e do novo PNE. Esses dois temas serão debatidos na Conferência Nacional de Educação (CONAE) a ser realizada no ano que vem pelo MEC.

Piso Salarial Nacional

O piso é lei, faça valer!  
No momento em que a Sociedade e os Poderes Públicos se reúnem para discutir os rumos da educação no país – num inédito e importante espaço de fomento das políticas públicas – os trabalhadores da educação pública básica, reunidos nas 36 entidades filiadas à CNTE, vêm cobrar dos Prefeitos, Governadores e Secretários de Educação, a implementação do Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério (PSPN) assegurado pelo art. 60, III, “e” do ADCT da Constituição Federal e regulamentado pela Lei 11.738, de 2008.

Mais que uma legislação salarial, a Lei do Piso constitui poderoso instrumento de ajuste administrativo e pedagógico para as redes de ensino, e pode ser uma aliada dos Secretários e Secretárias de Educação no que tange o gerenciamento dos recursos constitucionalmente vinculados, conforme prevê o artigo 69, § 5º da LDB.

Importante frisar que o Supremo Tribunal Federal, na apreciação da cautelar da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4.167), movida pelos governadores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e Ceará, julgou a Lei do Piso constitucional, não obstante ter suspendido dois itens até o julgamento do mérito. Contudo, nenhum gestor público está impedido de regulamentar o PSPN de acordo com a Lei 11.738, uma vez que o pacto federativo preserva a autonomia dos entes federados quanto à organização das carreiras de seus servidores.

A efetivação do PSPN é, também, mais um requisito essencial para pôr fim às históricas omissões e aos descasos causadores das desigualdades educacionais, sociais e econômicas em nosso país. Por isso, convidamos a todos os presentes às Conferências de Educação para unirem-se à luta pelo Piso, especialmente os gestores públicos, que são os destinatários diretos dos comandos da Lei.

A escola pública precisa de profissionais bem formados, com boas condições de trabalho e com uma carreira que incentive a permanência e a atração de novos talentos à profissão. O cumprimento do Piso é parte decisiva para essa grande conquista que se coaduna com as demandas de desenvolvimento do país.

Vamos escrever uma nova história, em que o acesso universal à educação pública, laica, gratuita e de qualidade seja o alicerce de uma sociedade justa, fraterna e democrática.

Fonte: CNTE

Pelo direito de ser bonsai

A Rádio Oficina Comunitária FM93,5  Solidariedade, em mais um exemplo de cidadania e de incondicional defesa da cidade de Macau, faz a apresentação de PELO DIREITO DE SER BONSAI, do nosso Cláudio Guerra, edição de “O Baú de Macau Editora e Artes”. O livro é mais uma “pedra salgada”, como são salgados os caminhos que o homem e a mulher macauense enfrenta no seu cotidiano, em busca de melhores condições de vida,  e até de sobrevivência, na luta pelo direito da plena cidadania.  Cláudio Guerra, em sua nova empreitada, traz para o nosso conhecimento o processo de julgamento e condenação da FM Solidariedade, pedra salgada no paladar daqueles que se arvoram em ser donos de tudo e de todos, e, mesquinhamente, não querem permitir que a informação verdadeira chegue democratica e indistintamente aos que têm direito a ela.
A apresentação acontecerá no próximo 1º de outubro, nas calçadas, vizinhança e adjacências da indispensável FM Solidariedade, na Avenida A, 42, Porto de São Pedro, por volta das 19h30min.Pelo Direito de Ser Bonsai1

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.